Pesquisa do Vianna com a UFJF promove inovação no procedimento anestésico em animais

Grupo de pesquisa dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Sistemas para Internet está desenvolvendo ferramenta automatizada para calcular dose medicamentosa usada nos experimentos com roedores na UFJF.

O projeto, intitulado Narcolab, é resultado de uma parceria entre o Vianna e o Centro de Biologia da Reprodução da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Há 110 anos, ratos e camundongos são usados em experiências e permitiram descobertas que já salvaram inúmeras vidas. Entre elas, o primeiro antibiótico, a quimioterapia usada no tratamento da leucemia e a vacina que praticamente erradicou a poliomielite. Atualmente, nenhuma investigação de saúde escapa à utilização de animais ou seres vivos alternativos. Cada experimento deve obedecer a uma série de normas que visam o bem-estar dos roedores: os pesquisadores devem devem usar o menor número possível de animais e com o menor sofrimento imposto.

No caso do manejo de procedimentos que possam impor dor, são usadas anestesias. Hoje, o cálculo da dosagem de pré-anestesia, anestesia e analgesia pós-operatória, usada nos ratos e camundongos submetidos a experimentos, é feito manualmente, seja na calculadora ou de cabeça. Se houver algum erro na conta, o animal pode receber uma dose insuficiente ou até mesmo uma superdose que acarretaria em óbito. Para eliminar as chances de que isso ocorra, o Grupo de Pesquisa de Inovação e Tecnologias Aplicadas dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Sistemas para Internet das Faculdades Integradas Vianna Júnior está desenvolvendo uma ferramenta que automatiza o cálculo das doses medicamentosas usadas nesses animais.

O projeto, intitulado Narcolab, é resultado de uma parceria entre o Vianna e o Centro de Biologia da Reprodução da Universidade Federal de Juiz de Fora, através do Dr. Marcelo Quesado Filgueiras, Pesquisador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Animais de Laboratório (NIDEAL). “A parceria visa não somente desenvolver a ferramenta automatizada que auxilia no cálculo das dosagens medicamentosas, mas também criar uma integração entre as instituições e promover a troca de conhecimentos entre os alunos”, afirma Allan Hilgemberg, estudante do 3° período de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Vianna.

O trabalho realizado pelos alunos do Vianna ainda vai além nos ganhos para a ciência: a ferramenta cria um banco de dados de procedimentos cirúrgicos em animais. “Posteriormente, isso pode servir para medicação em humanos, porém, o foco inicial é em ratos e camundongos, que é o estágio inicial dos testes de todos os procedimentos: seja para medicação, para cirurgia exploratória e tratamentos de diversas doenças e síndromes. Tudo isso para que obtenha-se o melhor resultado possível de uma nova droga, de um novo procedimento, de um novo tratamento”, completa Allan.

Para a professora Miriã Corrêa, responsável pelo projeto e coordenadora dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Sistemas para Internet, a parceria agrega muito ao grupo, principalmente por conta do caráter multidisciplinar e da troca de vivências. “Os alunos farão visitas a hospitais, terão acesso aos laboratórios da UFJF, além de participação em congressos. Eles estão vivenciando problemas reais e práticos e utilizando a computação como ferramenta para solucioná-los”, diz.

Conforme a pesquisa for progredindo, os resultados serão disponibilizados no site que está sendo desenvolvido com essa finalidade.