Propor soluções tecnológicas para a cidade de Juiz de Fora. Este é o objetivo do Hackathon JF Inteligente, evento que neste último fim de semana (9 e 10), reuniu estudantes e profissionais das áreas de tecnologia da informação, design e business, no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Ao todo, seis equipes desenvolveram aplicativos para solucionar demandas dentro do tema “cidade inteligente”.

A equipe “Abstrata” foi a primeira colocada na competição. Eles criaram o APA (Análise Preliminar de Alvará), programa que auxilia na avaliação prévia de alvará online e receberam o prêmio de R$ 1500. Dentre os integrantes, estava o aluno do quarto período de Análise e Desenvolvimento de Sistemas das Faculdades Integradas Vianna Júnior, Alisson Rubim. Ele participou do desenvolvimento front-end da aplicação e disse que a ideia do projeto surgiu da necessidade de resolver as burocracias enfrentadas na obtenção de alvarás. “Junto com os consultores da prefeitura que estavam na Hackathon, decidimos solucionar uma parte geralmente muito burocrática e demorada, que é a verificação de permissão para construção em lotes do município”, ele conta.

O ex-aluno de Sistemas para Internet, Gustavo Araújo, também foi membro da equipe, juntamente com o Gevalmir Faciroli Carneiro, Octávio Martins Moreira e André Borges Medeiros. O Hackathon JF Inteligente é uma iniciativa do Sebrae Minas junto ao Critt/UFJF, a Prefeitura de Juiz de Fora e outros ógãos parceiros.

 

Equipe “Abstrata”, vencedora da competição

O APA

O programa funciona assim: o usuário entra no sistema e marca no mapa, ou busca pelo endereço, o lote em que pretende construir. A partir daí, basta selecionar a categoria do empreendimento e um resultado é gerado, informando se está apto para construção no local. Também são apresentados detalhes como distância do meio fio e área da ocupação. O APA está em fase de finalização e em breve será disponibilizado ao público.

Protótipo do APA, vencedor do Hackathon