fbpx

Alunas de Direito do Vianna são destaques na pesquisa acadêmica

As alunas Rhayanne Dutra e Beatriz Tinoco, do curso de Direito das Faculdades Integradas Vianna Júnior, têm algo em comum: o apreço pela pesquisa acadêmica. Com trabalhos apresentados em congressos, elas se destacam no meio científico.

Rhayanne, aluna do 3° período de Direito, já participou do Congresso da Paz (ConPaz) em Bogotá, Colômbia e do Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Direito (CONPEDI), em São Luís, Maranhão. Além disso, publicou diversos artigos no âmbito do Direito Internacional e Direitos Humanitários, suas áreas de pesquisa. Segundo a aluna, conhecer bem a área de atuação é fundamental. “Busco sempre por novos desenvolvimentos em minha área, pois é necessários que os profissionais hoje em dia conheçam o que fazem, para que novos métodos sejam criados, melhorando o sistema jurídico brasileiro e proporcionando um Direito Humano ideal”, comenta.

A estudante leva isso tão a sério que faz parte de uma associação de juristas euroamericanos dos direitos fundamentais e está para começar alguns projetos de pesquisas com juristas internacionais. “A pesquisa acadêmica ajuda não somente no desenvolvimento de novas experiências, como também pode servir de suporte para soluções que o Brasil precisa para o futuro, com novos métodos de auxílio a diversas áreas e até mesmo trabalhos sociais”, completa.

Beatriz Tinoco, aluna do 8° período de Direito, apresentou no ano passado, no CONPEDI em São Luís, Maranhão, o banner com tema “Aspectos gerais sobre a Lei de Anistia brasileira (Lei 6.683/79)”, na área de Direito Internacional dos Direitos Humanos. “Trata-se da não punibilidade dos agentes que cometeram crimes durante o período ditatorial brasileiro, principalmente no caso “Guerrilha do Araguaia”, em razão de a Lei n° 6.683/79 ter concedido anistia a tais agentes do governo. O trabalho analisou a condenação internacional que o Brasil sofreu frente a Corte Interamericana de Direitos Humanos pela Lei 6.683/79 ferir dispositivos do Pacto São José da Costa Rica, assim, entendendo que a Lei não é compatível com o pacto”, explica a estudante.

Nos próximos dias, Beatriz encara um novo desafio: apresentar mais um trabalho, desta vez no XXVII Congresso Nacional do CONPEDI, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A aluna vai expor o banner “O princípio da não culpabilidade e a execução provisória da pena”, sob orientação do professor Gustavo Martins”. O evento acontece nos dias 14, 15 e 16 de novembro.

Beatriz Tinoco, aluna do 8° período do Direito, apresentou trabalho no XXVI CONPEDI em São Luís, Maranhão.